quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Tecnica de neutralizaçao

Esses dias fui tentar uma misturinha no cabelo da mamãe. O objetivo era branco pra cinza a partir do 11.20 (que é loiro claríssimo).
Pois bem...Usei uma técnica que aprendi no curso de colorimetria corretiva (fail, by the way) e a boa noticia é que como errei (hahuahuahua) tive que fazer na marra a correção por conta Propriá.
A misturinha consiste em 9.1 (que é loiro médio, cor que eu não tinha disponível)+mix azul+mix verde+mix roxo na mesma proporção, assim as cores se anulam e teoricamente tem-se o branco.

Aiai...Sabe, no curso eu tive que aprender a trabalhar com tintas profissionais, porque são cores naturais, é o que deixa o publico geral mais seguro. Acontece que meu negocio são cores fantasia. É o que uso, é o que vendo, é o que poucos sabem fazer. Admito ainda apanhar com cores naturais, o resultado delas varia de acordo com o fundo de clareamento, com a base, com o oxidante.
Enfim, apanho mas uso do mesmo jeito porque a vida é assim. Vai chegar num momento que não irei mais errar, ate lá aprendo e sei o que fazer pro processo dar certo.
Fiz a misturinha. A tinta ficou verde. Fiquei com medo e acrescentei mais uma medida de roxo. Continuou verde. Paciência, apliquei assim mesmo...
Como era minha mãe, ela mesma disse que não tinha problema se desse erro, porque "Melhor ser comigo do que num salão chique com uma desconhecida dando chilique".
De fato. Deu o tempo e ficou um branco esverdeado.

Bem, eu uso tinta fantasia verde. E meu conceito de verde fantasia pra um loiro com reflexo verde é diferente, logo eu sei o que é o cabelo literalmente ficar VERDE.
Ela achou verde demais. Compreensível. 
Dai ela cismou em fazer decapagem, MESMO eu falando que não ia resolver. Porque decapagem retira o excesso de pigmento, ela não tinha pigmento algum, apenas um reflexo verde. 
O máximo que ia acontecer era clarear o verde.

Decapei por insistência. Ficou verde mais claro! 
A segunda solução era neutralizar. Resolve, mas a neutralização costuma resultar numa cor que a pessoa não quer ter. Neste caso, dourado. 

Paciência. Lá fomos nós...Na duvida usei o mix vermelho da Igora, 0/88.
Sim, eu tenho um estoque de tinta fantasia vermelha, mas não sabia o tom que deveria ser usado. Na duvida foram 20 reais que eu gostei de gastar porque é um mix profissional, eu sei que resolve.  Pra roxo e azul é fantasia mesmo, uso inclusive no meu pra manter o branco e tem dado certo há mais de 3 anos.

Agora, o processo em si é chatinho, mas dá certo. 
O que você precisa: shampoo (branco ou transparente) e o mix.
Neste caso, vermelho anula verde, então fiz uma misturinha de shampoo e mix vermelho.
Porque branco ou transparente: pra você ver a proporção de pigmento e não colocar em excesso. 

Funciona também com roxo pra anular amarelado, azul para neutralizar laranja e verde pra neutralizar vermelho.

Misturinha: faça uma especie de pasta com o shampoo e o mix (ou tinta fantasia. whatever, o importante é ser pigmentação!!) na cumbuca. 
Coloque medidas pequenas, tipo 2cm de pigmento e vá acrescentando o shampoo. A cor NÃO deve ficar escura, pra se ter uma ideia o meu ficou um vermelho rosado médio.

Deu duvida? Teste da mecha. Eu não tinha muita noção da cor que deveria ficar e apliquei no cabelo MOLHADO (afinal é shampoo!), esfreguei numa mecha por alguns instantes e enxaguei.
Viu que neutralizou? É essa a cor, faça no resto.
Viu que não fez muita coisa? Acrescente um pouco mais de pigmento, questão de 1 cm. Faça de novo o teste e espere o resultado.

Tem que ser aos poucos, mecha por mecha, aplicando shampoo e esfregando/massageando com os dedos.
Porque não pode simplesmente aplicar e deixar: Ha o risco de chumbar e colorir ao invez de neutralizar. 
No geral é rápido, no lavatório em 5 minutos você faz o cabelo todo.
Lembrando que esse processo é indicado quando: o cabelo loiro ganha reflexo verde, amarelo ovo de descoloração ou alaranjado. Ou seja: correção de pigmentos indesejados! d:-)



quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Alisamento x Relaxamento

Montei esse material para o curso, é um resumo de como os processos são feitos e os principais ativos.

-->
Quando se quer eliminar temporariamente os cachos dos cabelos, o alisamento é a melhor opção. O alisamento químico dura mais tempo e exige maiores cuidados. Os componentes químicos, formulados à base de hidróxido de sódio ou tioglicolato de amônia, precisam ser aplicados com muito cuidado para não danificar os fios, do contrario pode-se carretar em problemas de crescimento e quebra./. Nesse processo, é recomendável não escovar os cabelos durante pelo menos três dias. 

Se o que se quer é apenas diminuir o volume do seu cabelo, soltar um pouco os cachos e ganhar movimento deve-se optar pelo relaxamento. O processo é idêntico ao do alisamento químico e é feito com os mesmos produtos. A diferença é que o tempo de ação dos produtos nos cabelos é reduzido pela metade, o que torna o processo menos agressivo aos fios, além de resultar numa aparência mais natural. 

O relaxamento exige retoques a cada 45 ou 60 dias e deve ser feito apenas na raiz para não ressecar ainda mais os fios. Ele não é indicado para cabelos tingidos ou descoloridos. Embora os produtos utilizados no alisamento e no relaxamento sejam bem menos agressivos aos cabelos do que eram antigamente, redobre os cuidados na hora de escolher o profissional que irá aplicá-los e observe os seguintes cuidados.

Mesmo que não seja indicado, não quer dizer que seja proibido, afinal cada cabelo é um caso pela forma como é tratado diariamente e os produtos que são usados. A indicação é o teste da mecha, independente da quimica ser compatível ou do historico capilar.

Produtos usados:
-->
Atua quebrando as ligações das moléculas capilares, deixando-as em uma nova posição e modificando o formato dos cabelos.

- Hidróxido de Sódio: Age no fio do cabelo, transformando as ligações dissulfídicas da cistina em ligações de lantiolina. Essa classe de produtos, na maioria das vezes, não apresenta odor forte e não requer neutralização. O hidróxido de sódio é compatível com ele mesmo e com outros produtos à base de hidróxido de magnésio e cálcio. Como pertence à mesma família de hidróxidos, sua compatibilidade com outros tipos de hidróxidos deve ser feita mediante avaliação do estado dos fios. São produtos alcalinos, pH 13, e uma lixívia cáustica que pode danificar os cabelos, produzindo queimaduras no couro cabeludo e até mesmo cegueira, caso atinja os olhos. São restritos ao uso por profissionais; produz um alisamento químico permanente e de eficiência máxima.
 
-->
- Tioglicolato de Amônia: Apresentam um pH alcalino, que remove o sebo protetor, facilitando a sua penetração nos fios. Devem ser aplicados sobre os cabelos úmidos, permanecendo de 15 a 20 minutos. Esticam-se os fios com o pente, aplica-se um neutralizador para refazer as pontas em sua nova configuração. O Tioglicolato de Amônia apresenta um forte odor de amônia e também pode irritar a pele. Este produto produz um alisamento químico permanente e de eficiência moderada.

. Produtos formulados com Tioglicolato de Amônia são incompatíveis com Hidróxido de Sódio. 

-->
- Hidróxido de Guanidina: São conhecidos como produtos sem lixívia. Essa substância também possui um pH alcalino, sem odor, sendo mais eficiente que o Hidróxido de Sódio e menos agressivo à pele. Necessita de um neutralizador ácido. O Hidróxido de Guanidina é composta por 2 ingredientes: Hidróxido de Cálcio e Carbonato de Guanidina - misturados na hora da aplicação.

-->
- Hidróxido de potássio: possui características que provocam maior irritação no couro cabeludo. Portanto, os produtos que contêm os mesmos, não devem entrar em contato com a pele. Sua ação é rápida e eficaz, mas poderá causar destruição da fibra capilar (a queda de cabelo instantânea), se deixado por período prolongado de exposição.

 
-->
- Hidróxido de Cálcio + Iminouréia: Não possui cheiro e nem necessita de neutralização. Deve-se utilizar uma mistura preparada na hora, de magnésio e cálcio + iminouréia. Utiliza-se xampu indicador de resíduo. Este princípio ativo limpa os fios e mostra, através de uma espuma colorida (geralmente rosa), se ainda há algum resíduo de química nos cabelos. É compatível com ele mesmo e com hidróxido de sódio. Também exige uma avaliação do estado dos fios no caso de troca de química.

Alisamentos nada mais são que uso de produtos para quebrar a estrutura quimica do fio permitindo que este seja modelado e se mantenha na forma desejada.
Qual o problema: os cuidados e a troca de ativos.

A pessoa tende a achar que uma transformação quimica resolveu o problema. E sim, de fato, facilita demais sua vida no geral, mas não te isenta dos cuidados básicos, especialmente porque cabelo cresce. 
A coisa mais comum é ver cabelos alisados com as pontas mastigadas ou a raiz colada na cabeça. A impressão que temos é que a pessoa tem medo de pentear, achando que vai sair o efeito.

Conselho de amiga: se as pontas estão detonadas, CORTE! Pelo simples fato de que é inútil mante-las la, elas não irão melhorar, são uma parte morta do cabelo.
Quanto a raiz colada, é coisa de cabelo sujo. Pode ate deixar secar assim, mas logo em seguida penteie pra trás, de preferencia com uma escova, para incentivar a circulação do sangue.

A troca de ativos causa processos judiciais. Infelizmente ainda há uma parcela que não tem o costume do teste da mecha e aplica todo o produto de uma vez.  É algo que não indico nem se for o mesmo produto, menos ainda outro fabricante.
Já presenciei raiz do cabelo pegar fogo por uma quimica anterior que era incompatível com a que a cliente queria. 
Logo, não troque de uma vez. Faça o teste da mecha e analise a compatibilidade. Estando tudo certo não aplique em tudo, apenas na parte que precisa ser retocada. Vá fazendo a mudança gradativamente.
Mesmo porque não ha a minima necessidade de ficar alisando o que ainda tem produto ativo.

Cuide-se! Não ha problema algum no alisamento desde que feito com alguém que realmente domine as técnicas e a maneira de aplicação.
Nunca, jamais, compre aqueles de loja especializada e faça em casa se você não for acostumado e não tiver segurança. 
d:-)




sábado, 18 de setembro de 2010

404

Meu acesso esta limitado esses dias, deu pála na rede e ta complicao fazer pesquisa...d:-/
Voltarei em breve, assim que a conexao estabilizar! ^^

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Colorimetria basica II

Lembra da Estrela?
Pois então, iremos desenvolver o assunto!

A parte mais legal de saber colorimetria é que não necessariamente você precisa despigmentar a cor para aplicar outra.
Dependendo do resultado final você pode conseguir com outra!

Por exemplo: Para tons loiros já sabemos que a dica é ter tinta azul puro e roxo em casa, para neutralizar amarelado e laranja.
Mas e quando se trata de tinta fantasia?

Para se ter uma ideia, eu estava assim ate ontem:













Blue velvet, Vicious violet, amarelo, Spring Green, Verde Marine, Turquesa, Coral red.

Enjoei. O amarelo ficou feioso, algumas cores desbotaram e eu cansei de manter. Porem, fiz progressiva e retoquei as mechas semana passada, foi questão de 4 ou 6 lavagens.
Não faz sentido descolorir se fiz um tratamento ha algumas lavagens, certo? Só iria anular o processo anterior e testar a paciência.

A minha sorte neste caso é que são cores relativamente claras, facilitou bastante a mudança. E enfim, cismei que queria ficar ruiva. Não totalmente, mas aumentar a quantidade de mechas que já tenho.
Separei as mechas mais claras possíveis e as que estavam muito mais escuras resolvi aplicar um pouco de preto, só pra ver como ficaria.

O resultado AINDA não é o ideal, mas neutralizou:














A franja eu mantive verde e irei esperar desbotar um pouco mais. Do contrario ha um risco grande dessa parte ficar marrom e manchar tudo.
Passei Coral Red em praticamente toda aquela parte da frente, nos dois lados só sobrou um dedo de mecha lilas, que foi onde testei o preto e guess what: NÃO PEGOU! hahaha
O resultado é essa mecha azul marinho estranha e uma parcela sobrevivente de lilas. Na pratica nem faz diferença se prender ou pentear pro outro lado, aparece tudo ruivo. Coloquei ela ai pra mostrar que foi uma parte muito fina (tao fina que você ve por baixo que ta vermelho) e que tinta preta não é sinônimo de eternidade.

Especialmente em cabelo descolorido. Para colorimetria não é apenas o fundo estar claro e sim os pigmentos base que irão segurar a tinta e ajuda-la a fixar nos fios. Por exemplo: vermelho.
Por isso as vezes a cor não pega. É como se o cabelo fosse um pedaço de plastico que é pintado com canetinha. O pigmento ajuda porque ele é menor, é uma especie de liga que fixa nos fios e se adere a outros mais grossos, no caso o castanho escuro. Então, sem ele não adianta se o pigmento for granuloso demais, você pode aplicar a tinta diariamente que não vai fixar.
E por isso que preto azulado é uma cor tao difícil de tirar: ele nada mais é que castanho escuro com mix vermelho e tons azuis. Ou um azul tao escuro que tem castanho avermelhado.
Ele é praticamente tres cores em um tubo.

O que eu quero dizer: fiz mechas pretas no meu cabelo, que é descolorido e tem pigmentação PURA lilas e não pegou. Pra mim era obvio, eu sabia que ia acontecer, fiz de teste.
Mas eu queria TE mostrar. Não é porque a cor é escura que ela ira NECESSARIAMENTE cobrir outra.
Especialmente se for descolorido ou se for loiro natural, por exemplo, que NÃO TEM pigmentação pra segurar tons escuros.

Logo, não é porque é loiro que pode aplicar qualquer tinta e vai ficar eternamente...Se o profissional não souber disso, o pigmento sai na primeira lavagem.

Porque é legal saber ou ter noção da Estrela: pra ter a tinta em casa e saber corrigir erros.
Exemplo:

-Azul e roxo neutralizam laranja e amarelado. Funciona também com tinta fantasia, logo se você usa Alfaparf, Igora, Loreal ou alguma tinta profissional loira, tenha essas fantasia em casa. A dica é misturar 1 dedo de pigmento na cumbuca.
Faz diferença! Ele vai neutralizar e corrigir manchas.

-Vermelho: Pra quem gosta de manter preto, pra banho de brilho em cabelos já vermelhos ou para neutralizar verde, que costuma acontecer em tons loiros e marrons, é o que causa as mechas. Não vá aplicar a tinta diretamente, é um dedo da medida que sai do tubo para uma cumbuca de tinta.

-Tinta cinza! Essa é a coisa linda da vida: um dedo de verde, azul e lilas na tinta loira.

E no geral, as possibilidades:

-Cabelo vermelho+tinta azul= roxo
-Cabelo laranja+tinta azul= desbotamento cinza
-Cabelo verde +laranja= ruivo/vermelho
-Cabelo amarelo+lilas= rosa
-Cabelo rosa+laranja= um intermediário.
-Cabelo verde+azul= Se forem tons claros, resulta numa especie de turquesa. Se forem cores escuras é possível que fique um azul quase preto.
-Cabelo roxo+azul= azul escuro

A dica: tenha sempre pelo menos as cores primarias, elas ajudam a corrigir manchas e dependendo da cor dos fios, se você quiser mudar, nem precisa descolorir ou sequer decapar, é só aplicar direto!

Eu tive sorte, mas se quisesse tudo azul por exemplo, era só aplicar direto. Inclusive do verde, ele iria cobrir lindamente e desbotado ainda ficaria cinza! \o
Foi o caso antes de retocar. Apliquei Eletric Blue e toda parte da frente, passei tinta super clareadora e meu cabelo ficou praticamente branco, tanto que pude passar amarelo! ^^
Ou seja: deixei de descolorir, neutralizei o que tava manchado. Só passei tinta pra ele desbotar.

Porque em boa parte das vezes não tem a menor necessidade de tirar a cor, é só aplicar outra que ela já resolve! ^^

domingo, 5 de setembro de 2010

A feira e todo o resto

Demorei pra postar. E peço desculpas, a verdade é que me decepcionei um pouco e queria esperar ate organizar as ideias.

A Beauty fair nada mais é que uma feira com stands de marcas. Particularmente achei bem fraquinha, ao meu ver a Hair Brasil tinha muito mais variaçao e eventos simultaneos.
Bem, funciona assim: ha varios stands que sao apenas vitrines com alguns representantes da marca, a maioria deles inclusive voltados para a area de negocios. Ou seja: nao é para os cabelereiros, que trabalham diretamente com os produtos e sim para quem esta disposto a investir na marca.

Ha tambem aqueles stands que tem praticamente toda a linha de produtos, porem nada é compravel, apenas exposiçao e demonstraçao. Se voce quiser adquirir precisa conversa com um representante da loja.
E para finalizar, ha os stands das lojas, que se promovem na feira. Exemplo é a Ikesaki, que leva o estoque das tres lojas e monta um espaço de vendas.
*Top professional (que nem tem tanta opçao, em qualquer loja de cabelereiro voce encontra!), moveis e publico em geral, que sao as marcas mais populares, como Niely, Novex, Acquaflora, Amend...

Os cursos. Tem bastante opçao, desde Congressos para esteticista e manicure, cursos para grupos de representantes da marcas na Ikesaki ate workshop de cabelereiro, que foi o que me atrevi a fazer! haha
O de colorimetria compensou, porem achei um pouco basico demais. Aprendi, claro, sempre se aproveita algo. Serviu principalmente pra eu perceber que gosto disso de verdade e sem duvida é uma area que irei aprofundar sempre que tiver oportunidade.
Agora o de corte...Ahnnnn!! Me inscrevi pra "cortes rapidos e modernos em alguns minutos" e na hora simplesmente mudaram o tema, transformaram num curso de penteado a partir de cortes modernos, eu cheguei atrasada por conta do transito e só soube porque um colega mencionou pro outro. 
Geral gostou e concordou, eu odiei.
Primeiro porque eu paguei por cortes! Se eu quisesse um curso de penteado teria me inscrito num desses.
Segundo que eu nao gosto de penteado...d:-P
Nao deu outra: por desencargo assisti 3 horas seguidas de penteado e um unico corte. Ódio! d:-/
Falaram que teve dois cortes. Ou seja...Meh.

Reclamar!? Nao adianta, o evento estava bagunçado. Chegando fui na secretaria me orientar e pegar o mapa, estava escrito na minha inscriçao que eu deveria passar lá pra me informar dos locais.
Ninguem sabia, só apos perguntar pra quarta pessoa descobri onde eram os auditorios.
Ate entao eu ja tinha entrado na feira, andando tudo, perguntado la dentro...

Decepçao. Os outros nao posso falar, mas o de colorimetria poderia ter sido mais avançado e esse de penteado só nao foi perda total porque mesmo nao gostando acabei aprendendo! hahaha
A entrada era cara, tinha muita fila pra tudo, tinham seguranças em diversos stands barrando a entrada porque só podiam vips (leia-se famosos convidados), a comida com porçoes pequenas e ceus, muito, MUITO cara (a agua chegava a 4.00 em alguns stands), tudo cheio, nao dava pra andar em alguns setores e uma reclamaçao que ouvi demais: amostra gratis limitada.
Pra quem foi visitar a feira eles entregavam sacolas enormes de papel (tipo aquelas da Victoria Secrets) com um papel de propaganda dentro (!?!?) e pra quem comprava um determinado valor ganhava de presente um sache qualquer de algum produto. Dizem que alguns stands de unhas estavam distribuindo kits de esmalte e uma marca em particular (que aghora nao me recordo, dammit!) tinha uma especie de roleta, que a pessoa girava e ganhava um esmalte do tipo escolhido.
A Acquaflora foi a unica empresa que vi distribuir amostra sem economia, ganhei uns 4 saches de creme corporal e uma escovinha com espelho.

Em relaçao a cabelo, achei fraco...d:-/ A Hair Brasil estava mais completa, com mais novidades.
Nao me atentei pra estetica mas vi que tinha bastante coisa. Pra quem curte cuidados com unhas tambem tinha muita opçao, e sempre tudo cheio.

Bem, eu só iria de novo pra fazer curso, nao compensa viajar só pra visitar a feira.
É cansativo demais! d:-/

No geral, aprendi a fazer penteado (hahuauhauha), um corte e neutralizar laranja, fazer tinta cinza, entre outras facilidades!
d:-)
Experiencia é sempre bom! Afinal nesse meio somos eternos estudantes, nao dá pra ficar parado...^^